• 25 DE Junho
  • |
  • 08:48

Campos do Jordão fará mutirão de vacinação contra a gripe nas escolas municipais de Educação Infantil

Saúde - 10/04/2019 | 12:52

Assessoria de Comunicação/ Prefeitura de Campos do Jordão

Foto: Assessoria de Comunicação/ Prefeitura de Campos do Jordão

Campos do Jordão vai aderir à Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe, que começa nesta quarta-feira (10) e vai até o dia 31 de maio. Mesmo quem tomou vacina no ano passado, deve tomar novamente. Neste ano, a campanha além de começar mais cedo, ampliou a idade para crianças: a aplicação da vacina agora vai até seis anos.  É justamente este grupo, com crianças de seis meses a menores de seis anos, além de gestantes e puérperas (mulheres que deram à luz há 45 dias) o primeiro grupo a ser vacinado, até o dia 19 de Abril. Para garantir a maior cobertura possível, as crianças com idades entre seis meses e seis anos, poderão receber a vacina nas Escolas Municipais de Educação Infantil e Creches. As equipes da Secretaria Municipal de Saúde, entre os dias 15 e 23 de abril, vão percorrer as 23 escolas de educação municipal infantil para administrar a vacina. A expectativa é fazer a cobertura de todas as crianças matriculadas e também dos professores da rede, que não precisarão deixar as salas de aula para fazer a imunização.  Nas escolas, deverão ser vacinadas 2.503 crianças e 430 professores. O esforço conjunto da Prefeitura visa atingir 90% das crianças nesta faixa etária residentes na cidade. Campos do Jordão conta, ao todo com 3.833 crianças com idades entre seis meses e seis anos.  A partir do dia 22 de abril, a vacinação será estendida para os demais grupos prioritários, como idosos, professores, trabalhadores da saúde, indígenas e portadores de doenças crônicas não transmissíveis, dentre outros.  No sábado, dia 4 de Maio, dia D da campanha jordanense, todos os postos de a saúde e sala de vacina estarão abertos das 8h às 17h para receber todos os grupos.  Para receber a imunização, é preciso apresentar documento de identificação com foto, ou certidão de nascimento (crianças), além de crachá ou documento de identificação profissional (no caso de trabalhadores da saúde e sistema prisional e professores) e declaração ou receita médica dos últimos três meses para comprovar a doença crônica ou condição especial. Também é recomendado levar à Unidade de Saúde, a carteira de vacinação e Cartão SUS, se tiver. A vacina é feita com vírus inativo, não tem reação e quase não tem contraindicações. Porém, pessoas com doenças febris agudas, alérgicos a ovo, com histórico de anafilaxia ou que tiveram Síndrome de Guillain-Barré no período de até 30 dias após receber a dose anterior, precisam de avaliação médica para liberação para a vacinação.