• 24 de Outubro
  • 19:03

Campos do Jordão conquista níveis de controle de pressão arterial de primeiro mundo e comemora com mais prevenção e apresentação de dados

Saúde - 23/04/2019 | 20:11

Assessoria de Comunicação

Foto: Assessoria de Comunicação

Um ano após o lançamento do Projeto de Monitoração Residencial da Pressão Arterial pela Prefeitura de Campos do Jordão em parceria com a Omron, os pacientes jordanenses tem hoje algo do que se orgulhar: o controle de hipertensão na cidade alcançou níveis internacionais. Em Campos do Jordão, o controle de hipertensão arterial sistêmica (HAS) chegou a 47%, enquanto a média no Brasil é de 19%. Para se ter uma ideia, da grandiosidade do dado, a cidade alcançou uma taxa próxima à dos Estados Unidos (50%) e busca agora chegar a 80%, mesma marca do Canadá, líder mundial neste quesito. Para apresentar estes dados e continuar com o trabalho de prevenção, a Prefeitura promove de 24 a 26 de Abril, a Primeira Semana Municipal de Prevenção e Controle da Hipertensão Arterial. Campos do Jordão é a primeira cidade do país a utilizar o controle residencial de pressão arterial na rede pública de saúde. A parceria inédita no Brasil atendeu a população na prevenção das doenças cardiovasculares, visando melhorar a qualidade de vida das pessoas proporcionando mais comodidade, segurança e facilidade nos cuidados com sua saúde. Apoiadora da Prefeitura nesta iniciativa, a Omron distribuiu 55 monitores de pressão do modelo HEM-7320 em março de 2018, em cerimônia realizada na Câmara Municipal de Campos do Jordão. Era o início do projeto MRPA (Monitorização Residencial de Pressão Arterial), que tinha o audacioso objetivo de aumentar a taxa de controle da pressão arterial e diminuir os eventos cardiovasculares no município. Cada paciente indicado para o projeto por médicos e enfermeiros recebeu o equipamento emprestado por cinco dias para monitorar a pressão, sendo que a periodicidade de verificação foi definida de acordo com a gravidade do nível de hipertensão, e os valores de pressão arterial obtidos foram registrados em uma plataforma tecnológica chamada TeleMRPA, também parceira do projeto, onde são gerados os laudos para diagnóstico da doença. Para o prefeito Fred Guidoni a iniciativa pioneira é mais um passo na conquista de uma melhor qualidade de vida, no projeto iniciado em 2013. "Com este projeto estamos propiciando à população de Campos do Jordão, gratuitamente, o que há de mais moderno, no acompanhamento da hipertensão. O que só é possível no Brasil, em larga escala, apenas para quem tem convênio médico, ou pode pagar por isso", afirma o prefeito. Esta não é uma ação isolada. Desde 2013, as Unidades de Saúde da Família, mantém programas preventivos, com prática de atividades físicas e grupos de controle e combate ao fumo, inclusive com distribuição de remédios e acompanhamento psicológico. Campos do Jordão foi escolhida, como sede do projeto, justamente, pelo trabalho que já vem sendo feito e pela cobertura do programa de saúde da família no município. O secretário de Saúde Márcio Stievano, lembra que as tratativas para que isso se concretizasse começou num Congresso de Cardiologia. “ Foi num congresso que vimos a possibilidade de trazer o experimento. Mas não podemos deixar de agradecer ao coordenador do Programa, o médico Carlos Machado, pela sua disponibilidade e atenção no treinamento de nossa equipe, bem como o empenho dos agentes de saúde e da coordenadora Cristiane Bueno”, Para comemorar esta evolução, nos dias 24 e 25, ocorrerão palestras e atividades sobre hipertensão com uma companhia de teatro em escolas da cidade. No dia 25, acontecerá a “Blitz da Saúde com a banca da auto medida da pressão arterial” na Praça do Gazebo, na Abernéssia, pela manhã, com profissionais da saúde prestando serviços à população (com testes de glicemia, bioimpedância e medida da pressão arterial). A tarde acontece a 1ª Caminhada de Prevenção e Controle da Hipertensão Arterial, com participação de 300 pessoas. Encerrando as celebrações, no dia 26, ocorrerá o Curso de Atualização sobre Hipertensão Arterial, comemoração de um ano do projeto MRPA, com apresentação de dados e premiação das equipes, além de homenagem aos pacientes que atingiram as metas de controle da pressão arterial. Tudo isso no Auditório Cláudio Santoro, com a presença de autoridades do município e de cidades vizinhas, equipes da saúde da família e pacientes, além de médicos e profissionais da saúde da região. “A hipertensão é uma doença inicialmente assintomática, então, o grande desafio na abordagem do paciente hipertenso é fazer o diagnóstico precoce, o tratamento adequado e colocar estes pacientes todos dentro da meta. Com isso, reduzimos o risco cardiovascular destes pacientes. A MRPA é uma ferramenta extremamente importante nisso, porque permite que façamos um diagnóstico preciso e separemos os pacientes realmente hipertensos”, explica o Dr. Carlos Machado, Coordenador Médico do projeto.